Rolex Ilhabela Sailing Week

Rolex Ilhabela Sailing Week
Os argentinos tradicionalmente prestigiam a Rolex Ilhabela Sailing Week, maior evento de vela oceânica da América Latina. Neste ano, quatro barcos do país vizinhos estão inscritos para as regatas, marcadas para o período de 6 a 13 de julho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI). As tripulações da região evitam o inverno mais gelado ao sul do continente para correr no Brasil e aproveitar o elevado nível técnico internacional da competição. E o quarteto 'hermano' terá veleiros em classes diferentes: Bachajo (comandado por Alejandro Menendez) na ORC, Ganesh (Cristian Paglini) na RGS, Super Matanga (Ruben Salvucci/Victoria Pocovi) na S40 e Los Rolingas (Daniel Della Torre) na Star.

Para chegar ao Brasil, as tripulações tem duas formas: a primeira é sair de águas rio-platenses e subir o Oceano Atlântico. A segunda é ser rebocado por terra até Ilhabela. Quem passa por essa aventura é o barco Ganesh. Em cima da hora, logo após uma competição no Yacht Club Rosario, o comandante Paglini surpreendeu a tripulação ao anunciar que estava de partida para o Brasil, por terra, enfrentando uma viagem de mais de 2.200 quilômetros.

'Depois de um dia de regatas, como de costume, os velejadores trocavam as experiências da prova no clube. Foi nesse momento que Cristian Paglini, empolgado, anunciou que iria correr a Rolex Ilhabela Sailing Week. A rápida estratégia foi colocarmos o barco num trailer e tirar o mastro para o transporte. Depois da inusitada escolha de última hora, o foco se tornou único e todos do time só pensamos agora na regata brasileira', conta Enrique Bó, um dos tripulantes escalados para a façanha no Ganesh, barco de 22 pés

Argentinos empolgados em correr no Brasil - O Super Matanga, comandado por Ruben Salvucci, por exemplo, disputará as regatas na classe S40 e também na ORC. A equipe é formada por um grupo de amigos com experiência em vários modelos como Soling, J24, Star, Laser e outros barcos de fórmula.

'Participamos de vários circuitos na região, mas sempre tivemos a motivação para competir em Ilhabela. Esse ano deu tudo certo e estaremos presentes', explica Ignacio Soto, um dos tripulantes. 'Espero que seja o nosso primeiro ano de muitos que ainda virão. A classe S40 tem o melhor nível técnico da região. Um barco rápido e competitivo. A ideia de medir na ORC também é muito interessante, que irá reforçar a flotilha e as regatas serão ainda mais disputadas e divertidas', conclui Soto.

Os argentinos também estarão presentes na categoria olímpica que mais deu medalhas ao País: a Star. O comandante Daniel Della Torre medirá forças com ícones da modalidade no Brasil como Robert Scheidt, Bruno Prada, Lars Grael e Reinaldo Conrad. 'Disputar uma competição brasileira e justamente na Star é muito importante. O nível da flotilha local é um dos mais fortes. Além disso, as belezas de Ilhabela deixam o evento ainda mais especial', afirma Daniel Della Torre, que fará dupla com o norte-americano Edward Morey.

Vitórias argentinas em outras edições - Os argentinos têm um histórico de vitórias nas águas do litoral norte paulista na última década. Em 2009, última conquista, o veleiro Cusi 5 foi o vencedor da estreante Classe S40. Dois anos antes, fizeram dobradinha em Ilhabela com o Personal na Classe IMS e o Matrero chegando ao tricampeonato na ORC (2004, 2005 e 2007).

A primeira tripulação a levar a bandeira azul e branca ao pódio do Yacht Club de Ilhabela foi a do Toríbio de Achaval, campeão também na Classe ORC em 2003. Além dos argentinos, outros dois veleiros do cone sul levaram o mais cobiçado troféu da vela oceânica no continente para seus respectivos países. O Memo Memulini, do Uruguai, vencedor da Classe IMS em 2006 e o chileno Pisco Sour, campeão da S40 em 2011.

RISW website
http://www.sail-world.com/111502